top of page

Abertura do 4º Congresso de Educação Social retoma o Circuito de Grandes Eventos na Zona Leste

Reflexões, Debates e Compromissos para uma Educação Sustentável e Inclusiva ocorrem na manhã do dia 18 de setembro, em Itaquera


Teve início nesta segunda-feira, 18, o 4° Congresso de Educação Social e Gestão do Terceiro Setor. Promovido pela Obra Social Dom Bosco de Itaquera, em parceria com organizações públicas e privadas, o evento tem o intuito de promover a formação e expandir o conhecimento acerca do tema.


Realizado no Circo Social Dom Bosco, a cerimônia de abertura contou com a presença da renomada jornalista e especialista em agronegócio e sustentabilidade, Ana Dalla Pria, que convidou o Presidente Fundador da Obra Social Dom Bosco (OSDB), Padre Rosalvino Morán Viñayo, para inaugurar o congresso. Durante sua fala, Padre Rosalvino destacou a importância da pedagogia de Dom Bosco no contexto do evento e enfatizou o expressivo número de inscrições, que alcançou a marca de mais de 1.200 participantes.


“É sempre assim na vida: ao cansaço do trabalho soma-se a alegria. Particularmente, a alegria da esperança de que as sementes germinem, cresçam, floresçam e frutifiquem nos corações de todos nós”, concluiu.


Em seguida, a Diretora Executiva da OSDB, Cristiane Vitale de Melo, e o Diretor Geral da Presença Salesiana de Itaquera, Padre Aramis Francisco Biaggi, expressaram gratidão pela presença dos congressistas e pelos patrocinadores do evento.



Palestras Magnas


Para debater sobre as “Perspectivas da Educação Brasileira e o Contexto dos ODSs no Brasil”, o 4º Congresso de Educação Social e Gestão do Terceiro Setor contou com a presença do vice-diretor do Instituto Multidisciplinar de Desenvolvimento Humano com Tecnologias, da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), Carlos Alberto de Oliveira.





O professor abriu as discussões falando sobre os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU. De acordo com ele, tanto os governos, quanto a sociedade, a economia local, as organizações do terceiro setor têm responsabilidade pela sustentabilidade. Na sequência, ele destacou que, entre os 17 objetivos da agenda, o mais importante, certamente, é a educação: “A erradicação da pobreza é uma delas, mas como erradicação sem acesso à educação?” perguntou o professor.


Ele também destacou o processo de envelhecimento da população brasileira. “Precisamos de políticas públicas que envolvam o envelhecimento ativo e saudável. É absolutamente necessário manter o idoso ativo em suas atividades e colaborando em sociedade”, ressaltou.


Na sequência, foi a vez do Educador e Sociólogo, Eduardo Brasileiro, falar “Por um Pacto Educativo Global para o Brasil”. Durante sua fala, Brasileiro destacou que a educação, sem o encontro, não é nada. Ele também enfatizou o período de “hiperconectividade” e do “hiperconsumo” que está erodindo a ação política e a esfera pública comum. “A sociedade já aceitou o colapso climático e, nessa sociedade que aceitou o colapso, resolvemos nos render aos processos de inovação e tecnologia que, às vezes, não correspondem aos anseios principais da dignidade humana”, destacou.





O sociólogo também destacou que o Papa Francisco, em 2019, propôs o Pacto Educativo e a Mudança Econômica. De acordo com ele, foram dois pactos globais focados na transformação profunda da sociedade. “Somos chamados a construir a política de uma maneira fraterna. Construindo, em solidariedade, o compromiss


o com o outro”, enfatizou.



Mesa Redonda



Uma mesa redonda mediada pela Mestre em Educação, Andreia Alves, reuniu o Secretário de Educação da Cidade de São Paulo, Fernando Padula, a Presidente e Fundadora do Instituto Nacional de Empreendedorismo e Empregabilidade, Karla Clarinda, e a Vice-Coordenadora Pedagógica do Laboratório de Empreendedorismo, Inovação e Criatividade da UNIFESP, Rita Maria Lino Tarcia.


Durante a discussão, foram abordados temas como o Pacto Educativo Global e os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável no Brasil. Rita Maria enfatizou os desafios de equidade na educação não formal, enquanto Fernando Padula ressaltou a importância da qualidade e aprendizado ao longo da vida na educação formal.


No período da tarde, aconteceram as 12 oficinas temáticas, abrangendo tópicos como autonomia e historicidade na educação, educação especial e inclusiva, desafios e proposições na educação contemporânea e os 30 anos de criação do Centro de Desenvolvimento Social e Produtivo (CEDESP).


Esse congresso representa um marco na busca pelo aprimoramento educacional e no desenvolvimento do terceiro setor, proporcionando um ambiente de reflexão e aprendizado enriquecedor para todos os participantes.



Por Ana Laet



105 visualizações0 comentário

Comentários


NOVO FUNDO PARA O SITE 2 copy.png
FEITEC ZL 2023
IV CONGRESSO DE EDUCAÇÃO SOCIAL E GESTÃO DO TERCEIRO SETOR
bottom of page